URUGUAI E SEUS VINHOS

Marcado com:

Um Uruguai muito além do Tannat, descobertas e prazeres do nosso vizinho.

No final de 2019, partimos com nosso grupo de apreciadores de vinho, num feriadão para um destino proximo – URUGUAI.

Olha aí um roteiro que está mais próximo da nossa realidade do que a gente imagina!

O objetivo era conhecer vinicolas e vinhos diferentes, dos nossos vizinhos e aproveitar, ao maximo, os prazeres da boa gastronomia local, nos período de um feriadão. De quinta a domingo. Ou seja, três noites.

O roteiro fez um bom apanhado, passamos pelo litoral e também vínicolas em lugares lindos.

Como tínhamos (eu e o marido) uma semana de férias, iniciamos nosso roteiro pela Vinicola Narbona , proximo a Colonia e, depois, nos juntamos ao Grupo #winelovers em Montevideo e seguimos o roteiro previamente combinado. Foi uma experiencia incrível.

FAÇA SEU ROTEIRO

1. NARBONA WINE LODGE

Ou NARBONA Bodega y Granja

Jardim lindo entre o restaurante, bodega e pousada


Para mim, conhecer a Narbona era uma meta, mas foi uma grata surpresa com a beleza e o ritmo do local.
 A maior produção da Narbona – assim como de todo o Uruguai – é de vinhos da uva Tannat. São cerca de 15 hectares de plantação exclusiva dessa uva, mas, além dela, lá eles cultivam também Pinot Noir, Petit Verdot, Viognier e Syrah.

A colheita e a primeira seleção de uvas são feitas manualmente, e todo o procesdo tem alto controle. Daí resultam vinhos de qualidade internacionalmente reconhecida e com intensidade, aromas e sabores incríveis!

São os rótulos da casa: Tannat Puerto Carmelo, Tannat Luz de Luna, Tannat Roble, Tannat Rosé, Blend (mix de várias uvas), Pinot Noir, Sauvignon Blanc, Medio y Medio Blanc e Medio y Medio Rosé.

É preciso agendar degustações e experiências.

Se vc estiver hospedado na Bodega, tem acesso livre a todas as instalações, 24horas, sem necessidade de acompanhante. Isso serve para os locais onde são feitos os vinhos!

O que vale a visita às instalações é a cava antiga, onde inicialmente, em 1909, os vinhos eram guardados. Ali tem os tanques de cimento utilizados na época para a vinificação, além do fogão à lenha do século XIX e seus utensílios. Hoje essa cava é usada para degustações especiais e jantares privados.

Saindo deste prédio, se está na parte da área do hotel da Narbona. Alem de vinícola e restaurante, a Narbona também possui acomodações com uma atmosfera colonial-chic. São apenas 5 quartos e faz parte da rede Relaix Chateau, LINDO. Fica no prédio anexo que, apesar de novo, seguiu o padrão de construção do prédio antigo, mantendo a originalidade.

A propriedade  é cheia de antiguidades, incluindo veículos de época, com portões  e jardins incríveis… a Granja produz leite, queijo, iogurte, doce de leite… produzem também o próprio pão.

Há tantos lugares dignos de fotos e pinturas, que não foi fácil escolher o que colocar aqui, mas me limitei às referencias do texto.

Fazem o melhor doce de leite da região, na minha modesta opinião e, ainda,panificação propria. Aliás, o restaurante é excelente.

Os vinhos? Ótimos! O Tannat é raiz! Amei! E, ainda, fazem grappa!

Antes de voltarmos a Montevidéu, para encontrar o grupo e seguir na viagem com nosso Grupo #winelovers, visitamos Colonia. Vale a pena. A cidade antiga, onde se caminha pelas ruas de pedra, as casas, os restaurantes, enxergar Buenos Aires do outro do lado do rio… Há o Ferryboat que atravessa para la. Aliás muito comum as pessoas fazerem esse turismo. Estar em Buenos Aires, Argentina, atravessar o Ferry e passar o dia em Colonia, Uruguai. Colonia também é um lugar bacana para ficar por alguns dias. Rustico, mas com boa gastronomia e lugares charmosinhos. Ainda pretendo voltar.

2.VIÑEDO DE LOS VIENTOS

Se você resolver viajar para um final de semana prolongado, o que tá mais proximo de nós neste momento pandêmico, aconselho a seguir nosso roteiro a partir daqui, porque foi muito legal, diversificado e nada cansativo.

No caminho entre Montevidéu (Aeroporto) e Punta Del Este, nossa proxima parada, essa boa surpresa.


A Viñedo de Los Vientos é uma bodega com uvas do Piemonte e também Tannat. Vinhos feitos com a menor intervenção possível, onde trabalham apenas 4 pessoas, entre elas o casal proprietário.

Mas não se deixe enganar, embora a gente possa percorrer a pé por todo vinhedo, conhecendo de perto cada casta que provamos depois, a produção é feita com controle e tecnologia. Um investimento que os proprietários não se arrependem – deixam bem claro – se ter importado da Itália.

Neto de italiano imigrante do Piemonte, pioneiro no plantio de castas como nebbiolo, dolceto entre outras no Uruguai, assumiu um dos vinhedos, e em 1998 passou a produzir seus próprios vinhos.

Aproposta é que seja sustentável, ainda não pode se chamar orgânico legalmente, e ja tem dois vinhos naturais

A excelente degustação se prolongou e provamos quase todos o rótulos.

Anote no seu caderninho os meus destaques: o branco Estival, um blend de Chardonnay, Moscato Bianco e Aromatic Traminier; para o tinto Eolo ( 85%tannat e 15% ruby Cabernet) que passa 36 meses em barris de Carvalho francês

O vinho de sobremesa,também por fugir do convencional, me agradou, o Alcyone. Um processo que envolve Brandy entre outros segredinhos. É de Tannat!


Uma experiência muito bacana, recheada por empanadas de Cordeiro feitas ali mesmo, incríveis

Sai feliz em ver o amor e dedicação pessoal em cada passo e ainda com as palavras do Pablo ecoando nos ouvidos. Ele disse mais ou menos isso: “95% do trabalho é feito no vinhedo, aqui na Vinicola nos cabe interpretar o que a natureza quer que a gente faça com aquela fruta naquele momento, safra…

Bonito, né? A humildade segue quando conta, en passant, que um vinho ou outro, é servido no menu degustação de restaurantes estrelados entre outras notas sobre exportação ( citou o espanhol El Celler de Can Roca e o peruano Central)

Se eu já tinha gostado… Faça idéia!

3. BODEGA GARZON

Não há como começar a falar da Bodega Garzón sem dizer: QUE LUGAR!

Estou até feliz de falar sobre o Uruguai agora, porque posso dar uma informação super bacana sobre o local, que referenda qualquer outra que eu der sobre minhas percepções: pelo segundo ano consecutivo ela recebe o 2º Lugar no concurso melhor Vinicola/Vinhedo do Mundo para Enoturismo – no “World’s Best Vineyards 2020”, que ocorreu na semana passada ON LINE este ano, diretamente de Sonoma, California – USA, mas contando com a participação de outros pelo mundo, Os Jurados são compostos por especialistas em vinhos, profissionais de gastronomia e membros da insdustria de viagens do mundo todo. O que conta não é o melhor vinho, mas o melhor “Vinhedo” no sentido da experiência toda. A saber, a Zuccardi, Vale do Uco, Argentina, ficou em primeiro lugar, também pelo segundo ano.

Mas voltando à Garzón, ja aviso que demora a chegar, é um oásis, contudo, já vale a visita apenas para apreciar a arquitetura local e a vista da imensa propriedade.

O visitante pode escolher três tipos de visita. A intermediária que escolhemos envolve toda visita pela vinicola, com paradas internas para degustação dos vinhos e, após, passeio de trator pela propriedade, para ver de perto o vinhedo. Na volta, degustação harmonizada , com queijos pães azeitonas, de dois vinhos premium da bodega e mais o seu azeite de oliva mais premiado, um blend de três espécies.

exemplo do solo

Desta forma, nosso almoço escolhido na hora no restaurante cujo diretor chef é Francis Mallmann. O menu de fogos está disponível e  a gigante churrasqueira redonda fica na larga varanda que dá para o horizonte da propriedade.

No almoço provamos os outros azeites, vinhos e desfrutamos a sobremesa ao ar livre, numa mesa montada para nosso grupo. Mais uma experiência incrível.

Sobre os vinhos, gostei muito dos reserva Alvarinho e Marselan e de um Single Vineyard Tannat que bebi no almoço. Os azeites vieram na mala!

4. BODEGA BOUZA

A Bodega Bouza também ficou entre os Top 50 melhores Vinícolas para Enoturismo no mundo, em 26º lugar, que citei acima.

Realmente o local é muito bonito, com a vantagem que é colado a Montevideu. Assim se você tiver pouco tempo e for para conhecer Montevideu apenas, ou em outra viagem qualquer que ficar um só dia, vale a pena passar por lá. Agende um almoço que vale a pena DEMAIS e conheça o local.

Subestimei a qualidade dos vinhos da BOUZA, confesso. E me surpreendi muito positivamente.

Pode ser feita a degustação, na sala onde há o museu de carros antigos, mas eu recomendo o almoço! Que pode ser a la Carte ou experiência harmonizada.

Em função da agenda, escolhemos pratos da parrilla e provamos vinhos excelentes… destaque para o Alvarinho e os Tannat.

A Bouza tem uma linha de vinhos chamada  Parcela Unica. E são marcados por letras e números. A letra indica a procedência do vinhedo e os números, do lote. É impressionante a diferença entre um e outro. Provamos 2 Tannat de mesmo ano, mas vinhedos e lotes diferentes. Foi incrível!



Como a sol apareceu, finalizamos o encontro com o café ao ar livre, em meio aos vinhedos experimentais e ganhamos de presente uma grappa, de Tannat. Tão bacana que deixei a foto como registro oficial da vista.
ANOTA isso, porque super vale essa dica!

Trouxe para casa e para guarda um Monte Vide Eu 2017. É um blend que meu amigo bebeu há poucos dias ( o seu de 2007) e disse estar maravilhoso. Compartilhando esta dica também!

Esta viagem pro Uruguai foi muito boa. Mas, surpreendentemente, na época, achei tudo muito caro. Não sei como será depois disso tudo, mas a cidade está moderna, bonita, nos sentimos seguros. Os bairros mais novos, a praia…

E como ultima dica, uma experiência imperdível no uruguai… Enquanto seguiamos para nosso destino em Punta Del Este… Paramos, é claro, em Punta Ballena, para apreciar o por do sol na icônica Casa Pueblo, do Arquiteto e artista plastico uruguaio Carlos Páez Villaró, que era sua antiga casa de verão, tem seu atelier, conta com um hotel, museu.

Fica há apenas 15 minutos de Punta Del Este.

No final da tarde acontece a “Cerimonia do Sol”, a gente tem que pagar ingresso, inclusive, para entrar. É super bonito, vale a pena, são recitados poemas escritos por ele… uma narrativa do por do sol mesmo… bem legal. Eu recomendo fazer uma vez na vida. A vista é um espetaculo.

E então, te fiz sonhar um pouquinho? Vamos planejar que essa tá mais fácil e a gastronomia é boa pra caramba!

No Instagram eu publiquei várias dicas de restaurantes. Busca clicando AQUI e vai passando pra frente que tem todos.

Duvidas? Deixe sua pergunta aqui!

Beijos,

Zucca*

*Inspirada por Tonin e sua nova linha de malas URBANA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*