TERROIR – VINHOTERAPIA – ESTRELAS

Terroir

 Por Evandro Vanti Gonçalves, wineblogger, nossa Estrela da Coluna Vinhoterapia!

É com grande alegria e prazer que escrevo novamente um post para o Zucca Gastrô, e desta vez abordaremos o termo terroir.

Vinhedo na Provence

Se você é apreciador de vinhos, já deve ter ouvido a palavra terroir. Mas que diacho é isso? Tão complicando meu vinho…

Na verdade, saber e aprender sobre o terroir é importante mesmo, porque diferencia o vinho de todas as outras bebidas do mundo.

Vale do Rio Douro – Portugal

Em todo vinhedo, uma combinação única de clima, topografia, e solo modela o caráter das vinhas que ali crescem e das uvas que elas produzem. Por sua vez, o vinho feito dessas uvas reflete o aspecto deste lugar.

Terroir é uma palavra de origem francesa que compreende todas as várias e únicas combinações de geografia, clima, viticultura que influenciam as uvas em cada particular área vinícola, tanto um único vinhedo como uma região inteira, incluindo solo, chuvas, sol, ventos, inclinação do solo, irrigação e drenagem.

Piemonte – Itália

O conceito que está por trás de terroir é que dois vinhedos não são exatamente os mesmos. Simples? Pois é isso mesmo.
Até uvas exatamente da mesma cepa criarão vinhos diferentes no gosto, devido à unicidade do terroir sobre o qual cada uma foi cultivada.
Por isso que não é difícil ouvir, de forma romântica, que o vinhateiro expressa o terroir, o solo, através do seu cultivar (no caso, a uva).

Marlborough – Nova Zelândia

Essa diversidade de terroir (uma combinação de solo, clima e indefinível “senso do lugar”) é altamente valorizada entre os produtores de vinho e especialmente entre os colecionadores.

Por isso os produtores criam regras específicas para ter a denominação DOC (Denominação de Origem Controlada), porque isso equivaleria a ter um “produto de terroir”, um produto único, próprio de uma área delimitada.
No Brasil temos a DO do Vale dos Vinhedos ( a D.O. possui regras de cultivo e processamento mais restritas do que as estabelecidas para a Indicação de Procedência -I.P.), o que traz valor agregado ao produto, garantindo que o mesmo é produzido dentro dos limites do território, sob regras restritas. Bacana não é?

Veja aqui toda a lista de vinhos brasileiros com a D.O. do Vale dos Vinhedos:

Vinhos D.O. Vale dos Vinhedos – Rio Grande do Sul

Na foto abaixo, uma garrafa de 6 litros ( chamada de Mathusalem ou Impériale) de Lote 43 Safra 2011 que tive o prazer de compartilhar com amigos em uma confraternização muito especial.

Um blend de Cabernet Sauvignon e Merlot, complexo e potente, com 14% v.v.

Enfim, o Lote 43 da Miolo é um dos vinhos que trazem no rótulo o selo da D.O. Vale dos Vinhedos, e é um dos vinhos nacionais obrigatórios na adega de qualquer um.

Não lembro quanto paguei, foi adquirido em Caxias do Sul, na Boccati Vinhos. (Na Vinícola Miolo não encontrei).

Um Brinde!
No próximo post: O Uso de Carvalho no Vinho.
Aguardem!

Evandro Vanti Gonçalves

Wineblogger


Nota da Zucca: As fotos constantes deste post foram inseridas nele pelo próprio redator e os créditos são: fotos públicas na Internet ou do próprio Autor (garrafas)


Gostou? Compartilhe!

Share on FacebookPin on PinterestTweet about this on TwitterShare on Google+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*