Perrier-Jouët nomeia sua 8a Chef de Cave e a 1ªmulher a comandar a Maison

Nos mais de duzentos anos de existência da lendária Maison Perrier Jouët, passaram por lá 7 chefs de cave, e agora, mais recentemente, uma mulher assume a produção deste emblemático champagne.

Ela é Severine Frerson, profissional com dez anos como chef de cave de outra grande produtora de bebida da região. Sua ligação com o mundo do champagne remonta aos 15 anos de idade, quando Severine escolheu a enologia como carreira e se manteve firme na decisão, desafiando aqueles que afirmavam que esta indústria era masculina. 

Natural da região de Champagne, guarda memórias vivas dos dias que passava com amigos em vinhedos de Verzenay. Entre as recordações, a colheita das uvas, o odor das prensas, e o cheiro da geléia de morango caseira de sua avó, fato que surgiu imediatamente na memória de Severine, logo da primeira vez em que ela provou o Perrier-Jouët Blason Rosé, com doces aromas de frutas vermelhas. Agora, nas adegas da Perrier Jouët, ela leva toda a sua sensibilidade e intuição para classificar os vinhos da Maison.

Para chegar a esta importante posição, Severine teve dois anos de aprendizado com Hervé Deschamps, que ficou 20 anos à frente da produção da marca, seguindo fielmente os passos de seu antecessor, André Baveret. À ocasião, em 2018, Christophe Danneaux, vice-presidente de champagne e diretor de negócios da Perrier-Jouët, já tecia elogios à Séverine em sua chegada à Maison. “Nossa história é marcada por Rose-Adélaïde Jouët, que fundou a Maison com seu marido Pierre-Nicolas Perrier em 1811. Seu grande caráter, determinação e ousadia, tal qual Séverine Frerson, cujo amor pelo vinho, aposta na qualidade e apego ao terroir, se alinham com a filosofia da nossa Maison”, disse.

EPERNAY, FRANCE – OCTOBER 15: Diner at the Perriet-Jouet Cellar Master Transmission on October 15, 2020 in Epernay, France. (Photo by Edward Berthelot/Getty Images)

A entrega do cargo aconteceu recentemente com pompa e circunstância em um evento coroado de emoção e transmitido online e ao vivo para diversos países. Severine Frerson é a primeira mulher a ocupar este cargo na Maison.

Sobre a Maison Perrier-Jouët

Fundada em 1811 em Epernay, a Maison Perrier-Jouët é uma das casas de champagne mais históricas e lendárias da França, e uma das mais distintas também. É reconhecida por seus champagnes elegantes e complexos, que revelam a verdadeira essência da cepa Chardonnay, e por sua tradição duradoura de savoir-faire, que se traduz em uma experiência incomparável de apenas 7 Cellar Masters desde a sua fundação. 

É uma Maison singular, com espírito familiar e profundamente influenciada pelo amor de seus fundadores pela natureza e pela arte – duas inspirações que se fazem presentes na história da marca e que permitem criar experiências excepcionais no cotidiano de quem ama este belo champagne e o Art de Vivre francês. 

Desde sua famosa colaboração com Emile Gallé, pioneiro do movimento Art Nouveau e criador do design das famosas anêmonas para seu cuvée de prestígio Perrier-Jouët Belle Epoque, a Perrier-Jouët encomendou trabalhos de artistas consagrados e emergentes como Daniel Arsham, Noé Duchaufour-Lawrance, Mighel Chevalier, Makoto Azuma, Tord Boontje, Studio Glither e Simon Heidjens, e o brasileiro Vik Muniz, entre outros,  para ilustrar suas belas garrafas. 

______________________________________________________________________________

Boas e Grandes noticias que merecem ser compartilhadas.

Para quem já teve o prazer e o privilegio de conhecer e desfrutar alguma garrafa deste champagne, sabe que a experiencia ja começa nela. As garrafas são obras de arte ilustradas, como referido no texto enviado pela assessoria de comunicação, acima citado. E a bebida, lendária!

Um brinde à chamapagne, às mulheres e sucesso à Severine Frerson, no seu brilhante caminho, agora à frente da lendária Maison Perrier Jouët

Beijos,

Zucca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*