COLLAB VINICOLA COURMAYEUR E PERSONALIDADES DA ENOGASTRONOMIA

A Vínicola Courmayeur está trazendo uma delícia de presente para seus clientes , apreciadores e fãs.

Diante da situação da pandemia, posicionou-se no sentido de trazer mais conforto a todos e, com isso, solicitou a colaboração de Chefs e Cozinheiros para compartilharem suas receitas mais queridas e, juntamente com a Dolcetto, pela sommelière Renata Formolo , criaram um Menu Enogastronomico para inspirar almoços e jantares especiais, nos dias que ainda estão por vir.

Fiquei lisonjeada em participar deste projeto e adorei a harmonização criada para meu prato, o Carré de Cordeiro, que tem um tempero super especial e o faz diferente dos demais pratos desta mesma carne.

Seguem todas receitas abaixo.

Fui inspirada por esta ação incrivel e vou reproduzir algumas receitas, com toda a certeza.

Obrigada, a todos os envolvidos por nos proporcionarem momentos de alegria durante este afastamento social, mas jamais afetivo.

Beijos,

Zucca

_______________________________________________________________________

Confira receitas para harmonizar com rótulos da Courmayeur durante o distanciamento social

Vinícola da Serra Gaúcha tem espumantes e vinhos que combinam com todos os momentos

Nada melhor do que preparar uma comidinha saborosa para curtir no aconchego do lar. Escolher a receita, fazer a lista de ingredientes e ir para a cozinha pode ser terapêutico em tempos de distanciamento social. Na companhia da família, aquele almoço ou jantar preparado a quatro ou mais mãos pode ficar ainda mais gostoso.

Com diversas linhas de produtos, a Courmayeur tem espumantes e vinhos que harmonizam com momentos que vão do happy hour descompromissado a refeições que pedem rótulos mais encorpados. Durante o período de isolamento social, clientes de Garibaldi e Carlos Barbosa podem solicitar a entrega a domicílio em horário comercial. O serviço está disponível para pedidos de duas caixas ou mais, sem cobrança de frete. Os pedidos podem ser feitos pelo telefone (54) 3463-8517. O catálogo de produtos também está disponível pelo e-commerce, através do link https://www.cavesdobrasil.com.br/marca/vinicola-courmayeur-14. Além disso, os vinhos e espumantes Courmayeur podem ser adquiridos em lojas físicas em diversas cidades do país.

A seguir, personalidades da enogastronomia sugerem receitas deliciosas para incrementar o cardápio.

O chef Roberto Zucolotto, do La Fermata Bistrô, localizado junto à vinícola Courmayeur, em Garibaldi, indica o clássico Baccalà alla vicentina e o refrescante Semifredo de Nutella, com avelãs e ganache de chocolate meio amargo. A comunicadora, sommelière e editora do blog Zucca Gastrô sugere a receita de Carré de cordeiro ao forno, excelente para os apreciadores de tintos de maior complexidade.

Da Escola de Gastronomia da UCS em Flores da Cunha, o chef Mauro Cingolani apresenta dois risotos para quem quer sair do trivial: o Risoto ao vinho tinto e o Risoto com camarão e abobrinha. Por fim, fomos buscar no site Panelinha, da aclamada apresentadora de televisão Rita Lobo, um prato tradicional, porém cheio de sabor e estilo: o Macarrão com molho rústico de tomate.

Ao final de cada receita, a premiada sommelière Renata Formolo, do projeto Dolcetto – Vinho Sem Frescura, sugere rótulos da Courmayeur para harmonizar e tornar o momento inesquecível.

Bom apetite!

Baccalà alla vicentina

Sugestão: chef Roberto Zucolotto

Serve: 4 pessoas

Ingredientes:

600g de bacalhau

400g de cebolas

3 anchovas

500ml de leite

Farinha de trigo

50g de queijo parmesão ralado

Salsinha picada

Azeite de oliva extravirgem

Sal e pimenta-do-reino

Modo de fazer:

1. Coloque o bacalhau de molho por 48 horas, trocando frequentemente a água (a cada 6 horas)

2. Elimine peles e espinhas e corte em cubos.

3. Fatie as cebolas finamente.

4. Numa frigideira, aqueça cinco colheres (sopa) de azeite e desmanche nele as anchovas.

5. Adicione as cebolas e deixar refogar por cerca de 10 minutos.

6. Desligue o fogo e junte duas colheres de salsinha picada.

7. Enfarinhe os pedaços de bacalhau.

8. Em um refratário, despeje metade das cebolas, distribua o peixe por cima e cubra com o restante das cebolas.

9. Regue com o leite, salpique o queijo e tempera com sal e pimenta.

10. Leve ao forno coberto com papel alumínio e deixe cozinhar por uma hora.

11. Retire o papel alumínio e deixe no forno por mais 20 minutos.

12. Retire do forno e deixar amornar antes de servir.

Dica do chef:

A versão original é servida com polenta, mas pode também ser servido com torradas de pão, preferencialmente caseiro.

Harmonização:

Esta receita é tradicional da região italiana do Vêneto, nascida em 1987, no coração da região de Vicenza. Para esta harmonização, escolheremos um vinho que não domine o sabor do peixe, mas que seja capaz de apoiá-lo e melhorá-lo. Pode-se pensar em um branco bastante intenso de aroma e com boa acidez, como o Courmayeur Essencial Chardonnay, um tinto jovem, como o Courmayeur Acclamè Merlot, suficientemente tânico e que seca a suculência, com acidez não muito evidente e moderado teor alcoólico, ou um espumante como o Courmayeur Executive Extra-Brut, fresco e animado, capaz de suportar o desafio de um prato saboroso, complexo e notavelmente gordo.

Semifredo de Nutella

Sugestão: chef Roberto Zucolotto

Serve: 4 pessoas

Ingredientes:

500g de creme de leite fresco

5 claras

5 gemas

175g de açúcar

125g de chocolate meio amargo picado

125g de avelãs

Modo de fazer:

1. Bata a metade do creme de leite até o ponto de chantilly.

2. Com a outra metade, faça uma ganache de chocolate. Aqueça o creme de leite e despeje sobre o chocolate, misturando tudo até obter um creme homogêneo e brilhante.

3. Bata as gemas com o açúcar até obter um creme liso e fofo.

4. Toste e triture as avelãs e misture-as com a ganache de chocolate meio amargo.

5. Acrescente a mistura de gemas à ganache. Misture bem e incorpore o chantilly

6. Bata as claras em neve e misture tudo, fazendo um creme homogêneo.

7. Leve ao congelador por pelo menos 4 horas até firmar.

Harmonização:

O doce é uma sensação de gosto nítida e de fácil percepção. Na escolha da harmonização com os doces, devemos não apenas ser condicionados pelo nível de percepção da doçura, mas também pela estrutura, pela consistência do prato e sua persistência em boca. Para este semifredo, a sugestão é o Courmayeur Moscatel ou o Weindorf Frisante.

______________________________________________________________________________

Carré de cordeiro ao forno

Sugestão: Patrícia Zuco – ZUCCA GASTRO

Serve: 4 pessoas

Ingredientes:

1 carré de cordeiro inteiro.

Tempero:

2 colheres de sopa de vinagre branco

2 colheres de sopa de azeite de oliva

5 dentes de alho

1 colher de chá bem cheia de orégano desidratado

2 folhas de louro

1 colher de chá bem cheia de sal

Modo de fazer:

1. Coloque todos os ingredientes do tempero no liquidificador e processe até virar uma pasta.

2. Em um prato de louça ou refratário, tempere toda a carne e leve à geladeira por apenas uma hora. Atenção: não deixe mais do que duas horas.

3. Pré-aqueça o forno a 200ºC (médio-alto).

4. Disponha a carne em uma forma e cubra com o restante do tempero que ficou no prato.

5. Leve ao forno por 30min ou até cozinhar bem.

6. Retire do forno e corte os carrés de dois em dois ossos e sirva entrelaçados no prato, se for empratar.

Para servir e acompanhar:

Neste prato, servi purê de aipim e pesto de hortelã. Ficou delicioso! Para o pesto de hortelã, processe no liquidificador duas xícaras de folhas de hortelã, uma xícara de azeite de oliva, 10 amêndoas sem sal, sal e pimenta a gosto, sendo que as folhas entram por último.

Dicas da Zucca:

1. Outras combinações perfeitas para o carré de cordeiro: polenta mole, purê de mandioquinha, risoto de queijo brie e menta ou purê de aipim.

2. Este tempero também cai super bem com pernil de cordeiro. Nesse caso, para um pernil, dobre a receita de tempero e use injetora ou faça cortes nele e insira tempero por dentro. Não tente na churrasqueira ou grelha, não funciona. Precisa ser no forno.

Harmonização:

O sabor característico da carne de cordeiro precisa de um vinho com uma boa estrutura, que melhor se relacione com a suculência deste clássico, e que combine com os aromas das ervas utilizadas da preparação, que serão exaltados quando estiverem dourados. Precisamos levar em conta também os acompanhamentos e molhos utilizados. Se optar pelo purê de aipim ou mandioquinha, a sugestão é o Courmayeur Essencial Marselan. Se a escolha for polenta mole, escolha o Courmayeur Essencial Ancellotta, que ficará surpreendente, graças a sua harmonia e complexidade.

______________________________________________________________________________

Risotto al vino rosso (Risoto ao vinho tinto)

Sugestão: chef Mauro Cingolani

Serve 2 pessoas

Ingredientes:

Para o risoto:

140g de arroz carnaroli (ou outro próprio para risoto)

600l de caldo de carne

150ml de vinho tinto seco

50g de queijo grana padano

50g de manteiga comum sem sal

1 cebola

20g de tutano de vitelo

1 folhas de louro

1 baga de zimbro

1 noz-moscada

1 cravo-da-índia

Sal e pimenta-do-reino

Modo de preparo

1. Adicione as especiarias e o louro no vinho. Leve ao fogo baixo até reduzir pela metade. Reserve.

2. Descasque e pique a cebola junto ao tutano. Refogue com metade da manteiga.

3. Junte o arroz e dê uma leve tostada.

4. Acrescente a redução de vinho tinto e deixe evaporar. Raspe o fundo da panela para desgrudar (deglaçar).

5. Ferver o caldo de carne e vá acrescentando aos poucos, uma ou duas conchas por vez, conforme o arroz absorver.

6. Quando o arroz estiver al dente (aproximadamente 15 minutos), desligue o fogo e acrescente o queijo ralado e a manteiga restante.

7. Verifique o sal e sirva bem quente.

Dica do chef:

Receita tradicional da cozinha camponesa das áreas vitivinícolas. Pode ser preparada com vinhos secos e encorpados, tanto brancos como tintos. O prato assumirá o nome do vinho usado.

Harmonização:

Na harmonização com este risoto, a regra é beber o mesmo vinho que você vai utilizar no preparo do prato. Neste caso, sugerimos duas situações: o Courmayeur Essencial Ancellotta, para um momento especial, ou algo descomplicado, leve, com bom corpo e equilíbrio, como o Courmayeur Acclamè Cabernet Sauvignon.

Risotto con gamberi e zucchine (Risoto com camarão e abobrinha)

Sugestão: chef Mauro Cingolani

Serve 2 pessoas

Ingredientes:

140g de arroz carnaroli (ou outro tipo próprio para risoto)

120g de camarão sem casca

600ml de caldo de legumes

30g de abobrinhas

1 cebola

50g de manteiga

40ml de azeite de oliva extravirgem

75ml de vinho branco seco

1 molho de ervas aromáticas

1 dente de alho

Sal e pimenta-do-reino

Modo de preparo

1. Descasque e pique a cebola e refogue na manteiga.

2. Junte o arroz e deixe tostar levemente.

3. Deglace o fundo da panela como o vinho branco e deixe o líquido evaporar.

4. Ferva o caldo de legumes e acrescente aos poucos, uma concha por vez, conforme o arroz absorver.

5. Corte a abobrinha em rodelas.

6. Salteie a abobrinha e os camarões com metade do azeite de oliva e tempere com algumas ervas aromáticas e o alho amassado.

7. Quando o arroz estiver al dente, retire do fogo e acrescentar o restante do azeite de oliva, a abobrinha e o camarão.

8. Sirva bem quente.

Harmonização:

Este risoto combina ingredientes de mar e terra e poderia ser um primeiro prato por ser um sabor delicado e leve. A sugestão é o Courmayeur Essencial Rosé ou o Courmayeur Brut Rosé. Caso você prefira demi-sec, tente acrescentar um pouco de erva doce para finalizar o prato. Vai ficar ótimo com o espumante Courmayeur Demi-Sec.

Macarrão com molho rústico de tomate

Sugestão: Rita Lobo, Panelinha

Serve 2 pessoas

Ingredientes:

150 g de espaguete (ou outra massa longa de grano duro)

4 tomates maduros

2 dentes de alho

2 colheres (sopa) de azeite

3 galhos de manjericão

Sal e pimenta-do-reino moída na hora

Queijo parmesão ralado para servir

Modo de preparo:

1. Leve uma panela média com aproximadamente 2,5 litros de água ao fogo alto.

2. Lave, seque, corte os tomates ao meio e descarte as sementes. Corte cada metade em três tiras e as tiras em cubos médios – se quiser, use uma faca de serra. Descasque e pique fino o alho. Lave, seque e retire as folhas dos galhos de manjericão.

3. Assim que a água ferver, misture 1 colher (sopa) de sal e coloque o macarrão para cozinhar (conforme instrução na embalagem), para ficar al dente.

4. Leve uma frigideira grande ao fogo médio. Quando aquecer, regue com o azeite, junte os tomates e deixe cozinhar por cerca de três minutos, mexendo de vez em quando. Junte o alho, as folhas de manjericão e refogue por apenas um minuto para perfumar. Tempere com sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto.

5. Assim que der o tempo do macarrão, retire e reserve uma xícara da água do cozimento. Escorra a massa.

6. Junte o macarrão ao tomate na frigideira e misture bem. Se achar necessário, regue com a água do cozimento para deixar o molho mais fluido. Sirva a seguir com queijo parmesão ralado.

Harmonização:

Embora seja um prato simples de preparar, na harmonização é bastante complexo e nada óbvio. O motivo é a acidez clássica do tomate. Uma combinação pode ser o Courmayeur Acclamè Chardonnay ou o Courmayeur Prosecco, um espumante branco com excelente frescor. De cor amarelo palha, apresenta aromas de frutas brancas com um bom sabor seco e delicado. Se preferir um vinho tinto, a proposta é finalizar este macarrão com queijo de ovelha envelhecido ou um Gran Formaggio 24 meses e harmonizar com o Courmayeur Essencial Marselan.

<br>Gostou? Compartilhe! <br><br>Share on Facebook
Facebook
Pin on Pinterest
Pinterest
Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*